23h às 29h: Tokyo SP surpreende com karaokê e festas em rooftop

 

Outro dia busquei meu neto Antônio numa dessas festinhas noturnas que os jovens se referem como “balada”. Era em um prédio no centro, perto do metrô República e da Casa do Porco, que tinha na fachada uma placa luminosa com o nome “Tokyo”. Fiquei tão curiosa com o lugar que resolvi visitar por conta própria.

Fui em um sábado, depois de sair de um bazar beneficente promovido por umas amigas queridas ali por perto. Entrei às 23h e paguei R$ 35 porque eu não tinha nome numa tal de lista. Logo em seguida fiquei em uma fila que dava para um elevador. Foi aí que uma moça muito simpática que estava na minha frente me explicou: aquele prédio tem nove andares e os quatro últimos são para entretenimento. Parece que os outros andares vão abrigar outras atividades culturais no futuro.

Enfim, comecei pelo último andar. Era uma pista de dança, quase uma discoteca, na cobertura, com vista para o Copan e Edifício Itália. Tomei cuba libre e sacudi o esqueleto ao som de “Maracatu Atômico”. O lugar é todo enfeitado com luzes de neon e referências japonesas, mais ou menos como aqueles filmes que se passam no futuro.

Já o oitavo andar é um restaurante com pratos que eu nunca tinha ouvido falar. O mais simples deles é um delicioso pastelzinho com recheio de porco, o “guioza”. Também gostei do espetinho de frango com um molhinho fabuloso.

Depois desci para o sétimo andar, onde tinha salas de karaokê privativo. O segurança me falou que nas salas cabem até vinte pessoas e que custam R$ 100 a hora para uso.

Então desci mais um lance, para o sexto andar, e aí sim fiquei encantada. O espaço é um karaokê coletivo. Também tem um bar, cheio de copos chiques de vidro, como aqueles que se usa para tomar margarita. Ali as pessoas ficam juntas ouvindo alguém cantar. Se você quiser se arriscar no palco, você pede para uma menina, a Lígia, e ela coloca a sua música em uma fila de espera. E quando chega a sua vez é só soltar a voz.

Confesso que me soltei.

Fiz dueto de “Amigos Para Siempre” com o Said, um moço que conheci no dia.

Beijos!

 

Tokyo SP

Endereço:
Rua Major Sertório, 110  (Metrô República)


Horários:

Abertura da casa: 18h

Restaurante fecha às 24h

Festa e karaokê coletivo vão até 6h da manhã.

Preços: 
Happy Hour (sem valor de entrada): 18h às 21h
Até 1h: R$ 25 (com nome na lista) ou R$ 35 (sem nome na lista).

 

Lourdes de Sá tem 74 anos, é funcionária pública aposentada e avó de três jovens. Gosta de sair e se intitula uma “notívaga compulsiva”.

donalourdes@yahoo.com

962
VISUALIZAÇÕES