Associação Viva e Deixe Viver conta histórias em hospitais de todo Brasil

 

Fundador da Associação Viva e Deixe Viver, Valdir Cimino comemora duas décadas contando histórias em hospitais de todo o Brasil. A organização que começou em 1998, quando Valdir se engajou no apoio às crianças internadas no Instituto Emílio Ribas, já levou alegria e conforto para mais de dois milhões de crianças e jovens em 90 hospitais do país. Mais de 19 mil títulos de livros inspiraram não só os pequenos internados, mas suas famílias e os profissionais de saúde envolvidos.

Com cerca de mil voluntários, a organização acabou virando modelo para outras iniciativas sociais. “Nossos voluntários participam de um extenso programa de capacitação e precisam estar comprometidos com a nossa missão, que é valorizar um país de leitores e transformar a internação hospitalar em um momento mais alegre e terapêutico”, diz Cimino.

Ele lembra que a média de idade dos contadores de histórias é 50 anos, 89% são mulheres e 45% têm o superior completo (30% são pós-graduados). Quem quiser se candidatar ao voluntariado deve ter disponibilidade para atuar uma vez por semana durante duas horas e participar de oficinas de capacitação. Além, é claro, de gostar de ler, pesquisar e manter-se atualizado sobre literatura infantil.

 

www.vivaedeixeviver.org.br

339
VISUALIZAÇÕES