Bom de copo: drinques feitos com vinho

Uma tendência nova e crescente é o uso do vinho em coquetéis, que ganham elegância, charme e sabor com as qualidades dessa bebida rica e super aromática. Embora o espumante seja empregado tradicionalmente em drinques com frutas – um clássico é o coquetel de champanhe –, os vinhos mais indicados para a mixologia são os brancos, os rosés e os Portos.

Quando adicionado a outras bebidas, como o gim, o vinho ressalta suas características aromáticas, além de sua acidez peculiar. Um exemplo é o drinque Winehouse, servido no Terço Bar, na Vila Nova Conceição, em São Paulo. Um dos mais pedidos da casa, ele é uma junção de gim, vinho do Porto branco, rosas, amora, hortelã e tônica.

Porto Tônica, uma bebida popular em Portugal e deliciosa, feita com vinho do Porto branco. Foto: Divulgação

É possível também usar o vinho como espuma na mixologia. O recurso é bem interessante, pois dá o toque final no copo, e pode ser feito com diversas técnicas e ingredientes. Os principais são a clara de ovo, a gelatina e o versawhip, feito com proteína da soja.

O Smurfs, por exemplo, é feito com o xarope Monin de maçã verde, um mix de cítricos e a espuma de vinho rosé, que vai por cima.

Um drinque muito popular em Portugal é o Porto Tônica, delicioso e refrescante para o verão. Gosto muito de usar o Porto Branco Chip Dry da Taylor’s, que é perfumado, complexo e muito aromático. Excelente como aperitivo, esse drinque é simples: em um copo alto você coloca 60 ml de Porto Branco e completa com água tônica gelada, rodelas de limão siciliano, folhas de hortelã e pronto.

O importante é fazer a mistura certa, colocando as quantidades ideais para que haja harmonia entre as várias bebidas escolhidas e os insumos.

Outro drinque interessante com o tradicional vinho do Porto, mas dessa vez com o tipo Ruby, é o que leva café Nespresso, licor Chambord de framboesa, Porto e gelo. Tudo é batido e servido na hora, fica maravilhoso. Dos vinhos do Porto, os ideais para drinques são o branco e o Ruby .

De qualquer forma, a dica principal é não ter medo, usar a criatividade e apostar também no que agrada o seu paladar. Não dá para criar um drinque com uma bebida que você não gosta, não é? Ótimo início de ano!

Que tal um Periquitonic ou Periquipeach?

Um dos vinhos mais vendidos no Brasil, o português Periquita tem sido degustado também em coquetéis. O Periquitonic é composto por meia taça de Periquita branco, gelo e água tônica – e guarnecido com fatias de limão siciliano e hortelã. Já o Periquipeach leva meia taça de Periquita rosé, gelo, suco de pêssego e um toque final de alecrim. Ambos são fáceis de fazer em casa e são puro frescor nas tardes quentes de verão, à beira da piscina ou mesmo em uma refeição com os amigos.

220
VISUALIZAÇÕES