Bom de copo: Portugal é referência em vinhos orgânicos

Com a matéria do Natale Giramondo sobre Cascais e Algarve, não poderia deixar de falar dos vinhos portugueses. Quem já foi a Portugal sabe da excepcional amabilidade daquele povo que tanto gosta de ouvir nossa maneira de falar sua língua. Eu tenho a sorte de todos os anos ir a Portugal, curtir esse acolhimento. E, no mês de fevereiro, acontece o “Simplesmente… Vinho”, um encontro para o qual sou sempre convidado.

Encontro “Simplesmente… Vinho”de 2018, na cidade do Porto

O “Simplesmente… Vinho” é, na verdade, um salão off de vinhos, arte e música. Um verdadeiro espetáculo para quem gosta de vinhos puros e sinceros – aqueles que são feitos sem produtos químicos, de forma artesanal.

Se você pretende ir a Portugal nesse período, tem que visitar esse salão. Pense o que é ter cem produtores de vinhos, todos orgânicos, naturais e alguns biodinâmicos! Cada um deles com cinco, seis, sete amostras diferentes do que produz… Impossível, trata-se de uma Disneylândia de vinhos para alguém como eu. E esse país abriga uma diversidade impressionante.

Você sabia que Portugal, depois da Itália, é o país com a maior quantidade de castas autóctones? E essa nação tão pequena tem ainda uma diversidade de terroir inacreditável. A ideia é priorizar sempre os vinhos da região onde estiver, pois você irá aprender mais. Os vinhos portugueses estão em uma fase de grande frescor e muita tipicidade das castas. Não perca!

Vinículas familiares para conhecer em Portugal

Quinta Casal Figueira

Propriedade familiar na região de Lisboa, em A-dos-Cunhados, produz vinhos com práticas biodinâmicas, como Roussanne, Marsanne, Petit Manseng. O primeiro Casal Figueira saiu em 1995, demorou muito tempo a ter o devido reconhecimento, mas agora está entre os melhores.

Casa de Mouraz

Foi fundada em 2000 em Mouraz, no coração do Dão, região conhecida como a Borgonha portuguesa. Surgiu como um projeto familiar de viticultura sustentável e produção de vinhos autênticos e naturais com a riqueza do seu terroir de origem. Conta com vinhas velhas com cerca de 50 anos e vinhas recém-plantadas.

Quinta das Bágeiras

Da região de Sangalhos, a vinícola familiar de 1989 produz vinhos de grande longevidade, sejam tintos, brancos ou espumantes. Esses últimos são elaborados somente na versão Bruto Natural, quando há pouca concentração de açúcar.

Outras para conhecer:

Aphros Wine, Quinta de Saes, Quinta da Palmirinha, Dominó, Quinta do Arcossó, Quinta do Romeu, Vadio, Mapa, Olho no Pé, Vale da Capucha, Quinta do Mouro, Antonio Madeira, Quinta da Pellada, Quinta do Infantado, Viúva Gomes e Bago de Touriga. Saúde

727
VISUALIZAÇÕES