Carnaval de rua de SP já é maior que o do Rio

Atriz Alessandra Negrini no Bloco Acadêmicos do Baixo Augusta

Em 1960, Vinícius de Moraes colou em São Paulo a pecha de “Túmulo do Samba”. Mas o mundo dá voltas, e a cidade hoje celebra o reinado de Momo com um Carnaval de rua cada vez mais animado. Em 2018, São Paulo teve 570 blocos desfilando por suas ruas, arrastando mais de nove milhões de foliões. O Rio, conhecido por seu grandioso Carnaval, teve cerca de 470 blocos, seguidos por cerca de seis milhões de pessoas.

Este ano, a farra paulistana promete ser ainda maior e mais organizada. Segundo a Prefeitura, em 2019 o número de blocos será 20% superior. A programação, que já teve início em janeiro, segue pelos fins de semana de fevereiro com o pré-Carnaval até o feriado “oficial”, entre os dias 2 e 5 de março, e depois termina com um “epílogo” nos dias 9 e 10 de março.

Fevereiro começa com a já tradicional festa Banga Summer (dia 2), do bloco Bangalafumenga na boate The Week, e com os bailes do bloco Calor da Rua (dia 2) e da Confraria do Pasmado (dia 9) na Casa Natura Musical.

Os dias 23 e 24 serão o auge da folia pela cidade. No sábado, 23, Alceu Valença puxa o Bicho Maluco Beleza no Ibirapuera, seguido por Elba Ramalho e seu Frevo Mulher; a Banda Eva e o Bloco Beleza Rara ocupam a Avenida Luis Carlos Berrini e Hamilton de Holanda comanda o Baile do Almeidinha na Avenida Faria Lima, em frente ao Bar Pirajá.

Monobloco desfila por São Paulo no dia 24 de fevereiro

No dia seguinte, o Monobloco levanta o Ibirapuera, Tiago Abravanel e o Bloco Gambiarra comandam o furdunço no Largo da Batata e o Acadêmicos do Baixo Augusta faz seu desfile de dez anos, que promete ser apoteótico e terá como tema “Que País É Esse?”. Em 2018, o desfile do bloco, comandado por Alê Youssef, lotou a Avenida da Consolação, com 1,2 milhão de foliões.

Aí vem o fim de semana dos desfiles das escolas de samba no Anhembi, e os blocos de rua fazem uma pequena pausa. Mesmo assim a cidade terá alguns cordões, como o das drags Minhoqueens (sábado, dia 2 de março, na Praça da República), o Ajaiô Kids de Carlinhos Brown (domingo, 3, no Ibirapuera) e o Agrada Gregos (terça, 5, na Avenida Tiradentes).

Também entre os dias 2 e 4 de março acontece a primeira edição do festival Carnaval na Cidade. O evento, num palco armado na Rua Inhaúma, terá como destaques o cantor Gustavo Mioto (no dia 2), o DJ Alok (dia 3) e, para finalizar, a funky diva Anitta na segunda, dia 4.

Depois, no fim de semana de despedida, grandes blocos fazem o encerramento da folia. Sábado, dia 9, Claudia Leitte anima a Avenida Tiradentes com seu Bloco Largadinho e, no domingo, dia 10, Daniela Mercury levanta a Avenida da Consolação com sua já tradicional Pipoca da Rainha e o Ibirapuera será dominado por Preta Gil, que traz pela primeira vez para São Paulo seu colossal Bloco da Preta.

Bloco da Preta, em São Paulo

Esses são apenas alguns dos destaques do Carnaval de São Paulo, que tem vários blocos menores, para quem prefere algo não tão mega, com a banda executando uma trilha sonora menos eclética e mais focada. Para os fãs de Beatles, por exemplo, a dica é o bloco Sargento Pimenta, que desfila no Largo da Batata no sábado, dia 23 de fevereiro, ao som de clássicos do quarteto de Liverpool executados em ritmo de marchinha. Nesse mesmo dia, os foliões do Ritaleena saem pela Rua dos Pinheiros dançando sucessos de Rita Lee em estilo carnavalesco.

No sábado, dia 2 de março, o bloco BregsNice, formado por fãs de hits brega de Genival Lacerda, Perla e Reginaldo Rossi, desfila pela Praça da República com a presença ilustre de Sidney Magal. No domingo, dia 3, o Tarado Ni Você enche a icônica esquina das avenidas I piranga e São João com canções do imortal autor de “Sampa”, o grande Caetano Veloso.

Por fim, quem busca uma celebração bem autêntica e conectada às raízes africanas da festa deve se dirigir no domingo, dia 3 de março, às alamedas Cleveland e Nothmann, no bairro de Campos Elíseos, para ver o incrível Ilu Obá De Min – composto exclusivamente por mulheres negras – fazer seu vigoroso desfile, com batuques, danças e cânticos yorubá.

Campeões de irreverência

Carnaval de rua de São Paulo também é uma oportunidade para os paulistanos mostrarem que adoram uma zoação e um deboche. Deveria existir um prêmio para escolher o nome de bloco mais original e hilário.

Nesse quesito, o Top Five da revista 29HORAS inclui as seguintes agremiações, confira: Arrianu Suassunga (de forrós e outros ritmos nordestinos), Amelie Pulando (de músicas francesas), Filhos de Glande (bloco afro-cyber-nadaísta), Siga Bem Caminhoneira (só de lésbicas) e João Capota na Alves (que desfila pelas ruas João Moura, Capote Valente e Alves Guimarães).

402
VISUALIZAÇÕES