Carnaval no Nordeste promove festa de cores e ritmos

Festa agitada no Carnaval de Recife, em 2018

Com a multiplicação dos blocos de rua em São Paulo, menos paulistas têm viajado durante o Carnaval, mas engana-se quem pensa, com isso, que as tradicionais festas da Bahia e de Pernambuco estejam esvaziadas. Muito pelo contrário: elas estão cada vez melhores e mais organizadas!

No circuito Recife/Olinda, 2018 foi um ano excepcional, e 2019 promete ser ainda mais. Em 2018, a capital de Pernambuco recebeu mais de 1,6 milhão de visitantes durante o Carnaval, que teve 800 blocos e 2.700 apresentações de bandas dos mais variados ritmos, desde o pop de Lenine até o maracatu cibernético da Nação Zumbi – sem falar no frevo da orquestra Spok.

Este ano, o Galo da Madrugada – o maior bloco do planeta, que costuma reunir cerca de 2,5 milhões de pessoas no Recife Antigo – vai fazer uma ode à mulher, e o desfile do Homem da Meia-Noite terá uma homenagem à rainha da ciranda, Lia de Itamaracá.

Nas ladeiras de Olinda, entre os tradicionais bonecos gigantes e as clássicas canjas de músicos como Alceu Valença, Elba Ramalho e da banda Mundo Livre S/A, o Carnaval 2019 será abrilhantado pelo DJ Alok, pelas coleguinhas Simone & Simaria, pelo funkeiro MC Kevinho e pela onipresente Anitta.

Por fim, após o sucesso de sua estreia no ano passado, o Carnaval Boa Viagem, na beira do mar na área mais nobre da cidade, terá uma nova edição com uma programação bem eclética, que inclui os sertanejos Jorge & Matheus, os baianos da Timbalada, o pop de Latino e do grupo Melanina Carioca e o forró eletrônico made in Ceará dos Aviões.

Terra de todos os santos

Já em Salvador, não é errado dizer que acontecem dois Carnavais: de dia, as pessoas se divertem seguindo os trios elétricos e, à noite, a ferveção rola nos badalados camarotes. Após anos com blocos que se isolavam com cordas e seguranças, a folia de rua agora voltou a suas origens e os trios mais animados são os que aboliram os abadás e a segregação. A rainha Ivete Sangalo – que ano passado não participou da festa por conta do nascimento de suas gêmeas Marina e Helena – agora está de volta, comandando o Pipoco da Bahia.

Camarote Salvador

Outros artistas de sucesso que circulam sem isolamento são Gilberto Gil, Saulo Fernandes e a banda Baiana System. Na Cidade Alta e no percurso entre o Pelourinho e o Campo Grande, vale também ficar de olho no fantástico e emocionante espetáculo protagonizado por afoxés e blocos afro como o Ilê Ayê, o Filhos de Gandhy, o Muzenza e o Olodum.

Depois, a partir das 19h, a agitação se transfere para os camarotes – principalmente se você é daqueles que buscam conforto, exclusividade e serviços da mais alta qualidade. O mais luxuoso e disputado é, sem dúvida, o Camarote Salvador, comandado pela empresária Stefânia Brito. Com ingressos que variam de R$ 6.790 a R$ 9.990 (válidos para as seis noites do Carnaval soteropolitano – de quinta, 28/2, a terça 5/3), ele tem open bar, comidas à vontade e uma estrutura que ocupa 10 mil m² no bairro de Ondina, com uma pista de dança e dois grandes palcos que receberão apresentações de ídolos pop como Iza, o rei do axé Bell Marques e o forrozeiro Wesley Safadão, além de DJs internacionais como Steve Aoki, Goldfish e Diplo.

O fato é que Salvador vive um grande momento. Nas últimas semanas, o jornal “The New York Times” e a plataforma de viagens Kiwi.com indicaram a cidade baiana como um dos principais locais a serem conhecidos em 2019. Mais do que isso, foi o único destino brasileiro recomendado pelo conceituado jornal para ser visitado entre 52 pinçados em todo o planeta.

Para coroar este bom momento, acaba de ser inaugurado em Salvador o primeiro hotel do Grupo Fasano da região Nordeste. Instalado em um prédio histórico que abrigou durante 45 anos a sede do jornal “A Tarde”, na Praça Castro Alves, o empreendimento possui 70 quartos, um restaurante de alta gastronomia, um spa e um rooftop com piscina, bar e uma fantástica vista para a Baía de Todos os Santos.

Gastronomia e arte no Recife

Camarões com risoto de quinoa, do Nez Bistrô

E, quem for a Recife por causa do Carnaval não pode deixar de aproveitar a viagem para visitar dois museus sensacionais que são pouco falados, ambos ligados à família de usineiros Brennand: a monumental Oficina de Cerâmica Francisco Brennand (reúne cerca de 2 mil esculturas, murais, desenhos e objetos criados pelo artista) e o Instituto Francisco Brennand, que abriga uma impressionante coleção de armaduras medievais, além de pinturas do período colonial e da ocupação holandesa, incluindo a maior coleção do mundo de obras de Frans Post.

Outra atração da capital pernambucana é sua sofisticada cena gastronômica. Não deixe de conhecer o Leite, o restaurante mais antigo do Brasil (foi fundado em 1882), onde a melhor pedida é a tradicional bacalhoada. Outra parada obrigatória é o Quina do Futuro, onde o chef André Saburó Matsumoto funde as culinárias japonesa e nordestina, em criações como o sashimi de vieiras com azeite de pimenta de cheiro e o atum de sol (nacos de peixe curados como a carne de sol) servido com farofa de shissô.

Para quem prefere algo mais contemporâneo, a dica é o Nez Bistrô, que pertence à família da blogueira de moda Camila Coutinho, que tem mais de quatro milhões de seguidores nas redes sociais. Instalado em um casarão do século XVII na Praça de Casa Forte – primeiro jardim público projetado pelo paisagista Roberto Burle Marx –, o bistrô é comandado pela chef Marcella Souto e serve deliciosos pratos. O steak tartare com sorvete de mostarda de Dijon e o Garotas Estúpidas (camarões com risoto de quinoa, aspargos e emulsão de limão siciliano) são duas ótimas pedidas.

93
VISUALIZAÇÕES