Um dos grandes nomes da gastronomia brasileira no momento, Claude Troisgros tem novo reality show na Globo

Hoje em dia, Claude Troisgros comanda ao lado de seu filho Thomas, sua filha Carolina e seu genro Marcos Porchat o Grupo Troisgros, que reúne empreendimentos como a casa de carnes CT Boucherie, o bistrô Le Blonde, o informal CT Brasserie, o buffet Atelier Troisgros, o restaurante de alta gastronomia Olympe e o intimista Chez Claude. Aqui e ali, seus cardápios sempre trazem fusões franco-brasileirinhas, como uma farofa de banana, um gratin de chuchu, um purê de baroa (mandioquinha), um pastel de vatapá e aquele que Claude considera o casamento mais perfeito da culinária universal: a goiabada com queijo. Paralelamente aos trabalhos na cozinha propriamente dita, ele já lançou livros de culinária e, desde 2004, vem comandando vários programas no canal GNT, como o “Menu Confiança”, o “The Taste” e o “Que Marravilha!”.

Novo programa gastronômico com Claude Troisgros é o primeiro em horário nobre na Globo

O chef com os jurados do “Mestre do Sabor”

Para coroar essa sua trajetória de sucesso no Brasil e no exterior, agora ele apresenta também o primeiro programa de gastronomia a ocupar em rede nacional o horário nobre da Rede Globo: o reality-show “Mestre do Sabor”. Juntamente com seu fiel escudeiro, o paraibano João Batista, e outros três consagrados chefs (o português José Avillez, do Belcanto, de Lisboa; o mineiro Leo Paixão, do Glouton, de Belo Horizonte; e Kátia Barbosa, do Aconchego Carioca) toda noite de quinta-feira ele tem a missão de eliminar um dos 24 cozinheiros que foram selecionados para a competição, cujo formato é um mix de “The Voice” com “Master Chef”, mas sem a gritaria típica dessas duas atrações. O vencedor, que será conhecido na final disputada ao vivo no dia 26 de dezembro, ganha R$ 250 mil e o título de Mestre do Sabor.

“Para ser um mestre do sabor, a pessoa tem que ter o dom da degustação, para conseguir equilibrar o doce, o salgado, o picante, o ácido e o amargo em cada prato que preparar. É claro que também é importante dominar as técnicas culinárias e conhecer os ingredientes, obviamente, mas para ser um cozinheiro diferenciado, precisa ter uma boca afinada”, afirma Claude, que possui esse dom, pois cresceu em um ambiente em que seu paladar era estimulado diariamente com as delícias preparadas não só por sua mãe, mas também pelo seu pai, Pierre, e pelo seu avô, Jean Baptiste.

Confira o resto da matéria em nosso site do Rio.

1247
VISUALIZAÇÕES