29HORAS em casa: A batalha continua e a mensagem é importante

Já são duas semanas de batalha. A guerra promete ser longa. E pode demorar mais do que imaginávamos. O inimigo é poderoso e avança rápido. Em silêncio. Sorrateiramente abate muitos de nossos soldados.

O isolamento, a arma mais poderosa que temos, segundo médicos e cientistas, deve continuar. Temos que nos manter saudáveis para cuidar de nossos soldados que mais necessitam de atenção.

Nos quesitos amor e solidariedade, como sempre, estamos nos saindo bem. Mesmo distantes, juntos temos conseguido levar aos mais carentes alimentos, medicamentos, água, sabão, álcool em gel e todas as outras armas que precisamos para enfrentar o Covid-19.

Mas não tem sido fácil. Medo, insegurança, angústia são apenas alguns dos obstáculos que nos afligem e precisamos superar todos os dias. Uma arma poderosa é a informação. Ela chega de todos os lados e de várias formas. Televisão, rádio, internet e redes sociais nos avisam a toda hora sobre os movimentos do inimigo e que caminho devemos seguir. Temos que absorver essas valiosas lições com calma, inteligência e nos preparamos para o que vem pela frente.

E, embora muitos ainda duvidem, as previsões de nossos comandantes são assustadoras. Perderemos muitos soldados pelo caminho. Nossas trincheiras têm que ser mais bem equipadas. Hospitais de campanha estão ficando prontos. Não podemos deixar faltar leitos para atender os pacientes.

Diariamente nossos médicos alertam sobre a carência de equipamentos básicos para se protegerem e cuidar melhor dos soldados. Mais uma vez recorremos a nossa principal arma: a solidariedade.

Empresários, indústrias e o povo se mobilizam. Mais doações e voluntários entram no campo de batalha para suprir nossas necessidades. Respiradores estão sendo consertados. Máscaras são produzidas em casa. Milhões de equipamentos vem do exterior. É assim que vamos ganhar essa guerra e sair fortalecidos. Prontos para um mundo que nunca mais será o mesmo. E nem nós.

Professor de história e autor Yuval Noah Harari

Professor de história e autor Yuval Noah Harari

Peço licença para mandar uma mensagem a quem possa interessar e reproduzir aqui parte de um comentário do professor de história israelense Yuval Harari: “A humanidade precisa fazer uma escolha. Iremos percorrer o caminho da desunião ou adotaremos o caminho da solidariedade global? Se escolhermos a desunião, não apenas prolongaremos a crise, mas provavelmente resultará em catástrofes ainda piores no futuro. Se optarmos pela solidariedade global, será uma vitória não apenas contra o coronavírus, mas contra todas as futuras epidemias e crises que possam assaltar a humanidade no século XXI”.

511
VISUALIZAÇÕES