Dia do Consumo Consciente alerta para este seja incorporado no cotidiano das pessoas, a fim de reduzir danos ao planeta

Todas as nossas atividades geram impacto ao meio ambiente, à economia e à sociedade. O consumo faz parte da vida e não existe consumo sem impacto. O consumo consciente, então, não significa deixar de consumir, mas fazê-lo de modo diferente, sem excessos, considerando toda a cadeia produtiva. A busca por um caminho mais sustentável e com menos riscos ao planeta e à vida faz do dia 15 de outubro o Dia do Consumo Consciente no Brasil.

Produtos da plataforma “Uma Vida Sem Plástico”

Rio de Janeiro e São Paulo já sancionaram lei que proíbe o fornecimento de canudos plásticos em restaurantes e bares. Marcas e projetos que incentivam a mudança de hábitos como a menor geração de lixo são realidades no país, a exemplo do e-commerce “Uma vida sem plástico”, que oferece itens como escovas de dente de bambu, canudos de metal, absorventes de pano, marmitas e garrafas de inox, entre outros diversos produtos.

Para Fernanda Iwasaka, Analista de Conteúdos do Instituto Akatu, que trabalha pela mobilização da sociedade para o consumo consciente, é perceptível a pressão por produções mais sustentáveis no mundo. “As marcas e empresas percebem a necessidade de atender a uma grande demanda por atributos ligados à sustentabilidade”, afirma. Um deles é a atuação com transparência, que envolve a boa relação com a comunidade, com o meio ambiente e com a gestão de pessoas, além do acesso ao consumidor das informações sobre a rede de fornecedores da empresa.

A Pesquisa Akatu 2018 mostra que, dentre as oito principais causas que mais mobilizam o consumidor a comprar um produto de determinada marca, cinco estão associadas ao cuidado com as pessoas.

Em primeiro lugar está a atuação das empresas no combate ao trabalho infantil (45%), seguido pelo tratamento igualitário dos funcionários (43%), investimento em programas de contratação de pessoas com deficiência (38%), contribuição para o bem-estar da comunidade onde está localizada (38%) e oferta de boas condições de trabalho (36%). E, segundo a empresa Nielsen,75% das pessoas de 21 a 34 anos já consideram mudar seus hábitos de compra para reduzir seus impactos ao meio ambiente.

Essa preocupação faz sentido dentro de um cenário preocupante em que estamos inseridos. Atualmente, consumimos 75% mais recursos do que a Terra é capaz de regenerar em um ano. Em 2019, o Dia de Sobrecarga da Terra ocorreu em 29 de julho, o que indica que consumimos todo o “estoque” de recursos programado para o ano todo e, a partir desse dia, a Terra entrou no “cheque especial”. “Por isso, cabe a cada um ter a consciência de que seus atos de consumo têm impacto e que precisam ser modificados em prol de todo o planeta”, enfatiza Fernanda.

190
VISUALIZAÇÕES