Dono do Paris 6, Isaac Azar comanda o restaurante mais “instagramável” do país

Paris 6 é sucesso nas redes sociais; tudo estratégia de seu dono, Isaac Azar. Foto: João Benz

Quase 1,5 milhão de seguidores no Instagram, 700 mil usuários no aplicativo, vídeos no canal do YouTube toda semana e uma equipe jovem e antenada para viabilizar tudo isso. Parece a definição da carreira e rotina de um digital influencer do momento, e é. O inusitado é que, na gastronomia, números tão grandes na internet ainda não são comuns, mas para Isaac Azar, dono do Paris 6, essa foi a estratégia de seu negócio, que é um sucesso de público desde 2006 e, hoje, bomba nas redes.

“Eu sou o Paris 6 e o Paris 6 sou eu”, define o empresário paulistano de 48 anos. Parafraseando o rei francês Luís XIV, que disse “O Estado sou eu”, a história da França é a grande inspiração estética de quem não se diz chef de cozinha ou empresário, mas, sim, um comunicador. Investir nas redes sociais e em um bom marketing é o segredo de Isaac. E a receita tem dado certo. 25% do faturamento da marca vem de promoções divulgadas apenas online.

O menu leva em conta o que o público gosta e quer comer, e é recheado com os rostos de celebridades das mais diferentes mídias, o que cria um duplo desejo, na opinião do dono. “É mais impactante pedir uma Deborah Secco ou um Leo Picon do que simplesmente um prato”, diz. E, a partir do pedido, os celulares já estão prontos para captar diferentes ângulos de um dos 121 pratos salgados ou uma das 110 sobremesas das casas. “Não estou preocupado com os críticos gastronômicos”, ele avisa. Isaac já deixou de lado a rigidez da clássica cozinha francesa há tempos. “O que faço é o match Brasil/França, o pastelzinho de queijo brie é o exemplo, todo mundo pede”.

As referências não vêm do universo de chefs de cozinha ou até mesmo de grandes executivos, os gurus de Isaac Azar são pessoas influentes da comunicação e do atendimento ao público. “Não assisto aos programas dele, não fazem o meu tipo, mas o Silvio Santos é um verdadeiro ícone da mídia brasileira, mudou até de nome para criar uma identificação com o público”.

Além do dono de um dos maiores grupos de comunicação do país, Isaac cita o Comandante Rolim, ex-piloto da TAM, como exemplo de liderança sempre presente. “Ele pilotava aviões, mas não deixava de receber os passageiros na porta”. Com o Paris 6 virtual, Isaac faz igual, é a cara dos perfis nas redes sociais do restaurante, ele mesmo posta e replica conteúdos e está sempre atento aos principais comentários.

Amigo de todo mundo

Isaac começou a sua trajetória gastronômica em 2005, com um pequeno restaurante focado em azeites, o Azait, no bairro dos Jardins, em São Paulo, e hoje conta com quinze casas do Paris 6 no país. Além do alto investimento digital, seu modelo de negócio envolve um constante networking com os famosos. Ele tem mais de três mil contatos na sua agenda. São atores, jogadores de futebol, youtubers e celebridades de todo o país – muitos deles foram sócios do empresário.

Isaac com o ex-jogador do Corinthians Dentinho, em visita à cozinha do Paris 6 Vaudeville, na Haddock Lobo

A ideia de seu restaurante ter a cara de artistas brasileiros surgiu com o ator Bruno Gagliasso, quando este visitou o então recém-inaugurado e primogênito Paris 6, na rua Haddock Lobo 1240, e ouviu os relatos da viagem de Isaac, que acabara de voltar de Paris. Em sua experiência de “flâneur” pela capital francesa, Isaac percebeu que os restaurantes costumam preservar a história de seus grandes personagens com indicações e plaquinhas nas fachadas e nas mesas.

Foi conversando com o ator que ele teve a ideia de trazer um pouco de “história” ao seu novo negócio, batizando os pratos do cardápio com nomes de artistas. “Bruno me disse: ‘por que você não cria um prato comigo e dá o meu nome?’ Aí veio outro e mais outro, e tudo se multiplicou”. Hoje, todos os pratos do Paris 6 levam o nome de alguém, que por sua vez frequenta e indica o restaurante e, claro, posta sobre o lugar.

Para atingir esse sucesso, a hiperatividade e a persistência foram duas características básicas. Ele realmente não para. Durante o papo para este perfil, o dono do Paris 6, restaurante que – inclusive – funciona 24 horas, cumprimentou clientes famosos e todos os funcionários do restaurante, atendeu telefonemas, respondeu mensagens e deu uma “corridinha ao escritório”, que fica próximo à Haddock Lobo, rua que abriga três Paris 6.

Em 2011, estreou o longa “Meia-noite em Paris”, de Woody Allen, que, segundo Isaac, é a síntese do Paris 6. “O filme traz esse contato com grandes artistas plásticos como Salvador Dali e escritores como Ernest Hemingway através de uma viagem no tempo em bares de Paris. Eu quis trazer esse ambiente de encontro com a arte e a cultura também”. Adaptou e deu certo.

Esse é o meu lugar

Sobremesa que leva nome da atriz Deborah Secco. Foto: Thatiana Bione

Durante a entrevista, Isaac sobe para a cozinha, desce, senta em um dos ambientes, muda, escolhe outra mesa, chama funcionários pelo nome e explica que sua equipe é a multiplicação de “Isaaquinhos” – são os braços de seu negócio, ou seja, seus próprios braços. Assim foi possível levar o Paris 6 para outras cidades e estados, com o projeto de franquias do Petit Paris 6, um modelo mais enxuto de negócio. “Vamos servir as principais sobremesas e pratos rápidos em shoppings e ruas de todo o país. Vou privilegiar os lugares onde hoje não estamos”.

Isaac é casado com a empresária Caroline Azar e tem três filhos, duas meninas e um menino. As duas mais velhas, com 15 e 17 anos, já mostram interesse pela carreira de marketing e confeitaria, o que anima o pai. “E a única pessoa que eu conheço que não gosta do Paris 6 é o meu pequeno. Ele tem ciúmes porque passo muito tempo aqui”. É realmente difícil desassociar Isaac Azar do Paris 6: quadros no restaurante trazem seu rosto, TVs ligadas ali dentro mostram o canal em que ele cozinha com convidados e o cardápio também tem fotos suas.

Para dar conta de uma rotina frenética, ele acorda às 9h da manhã e já se atualiza nas redes sociais e nos recados no celular. Depois do café, segue para a terapia, que frequenta duas vezes por semana. Se não é dia de divã, vai para a academia. O almoço ao meio-dia tem sido ovos pochê, shitake com azeite trufado e aspargos.

À tarde, no escritório, ele se divide entre os departamentos de marketing e diretoria. E, à noite, o que não deixa de fazer é colocar o filho mais novo para dormir e, antes, rezar em hebraico com ele, seguindo a tradição judaica da família. Se bater insônia, ele pode aparecer em um de seus restaurantes em plena madrugada. Afinal, ele é o Paris 6 e o Paris 6 é ele.

Cinco conselhos de Isaac Azar para ter um bom desempenho na internet

  1. Esteja atento o tempo todo ao que está acontecendo nas redes
  2. Pense dez vezes antes de postar
  3. Seja autêntico sem agredir ninguém
  4. Tenha uma identidade e linguagem padrão
  5. Controle-se e não poste sem parar!

Três queridinhos de Isaac em SP

  • Ristorantino, restaurante de culinária italiana à la carte, incluindo massas frescas, carnes e vinhos, no Jardins.
  • Nakka, restaurante japonês tradicional e contemporâneo, no Itaim Bibi.
  • Le Manjue, especializado em comida orgânica e natural, no shopping JK Iguatemi.
2138
VISUALIZAÇÕES