Franquias buscam perfil de seus clientes para estabelecer uma comunicação mais personalizada e eficaz

Como disse uma vez o matemático britânico Clive Humby, “dados são o novo petróleo”. De posse das informações sobre as preferências e os hábitos de consumo das pessoas, megacorporações como Facebook, Amazon e Google faturam bilhões! Mas não é preciso ser uma empresa gigante para tirar proveito desses dados.

“Quanto mais conhecemos quem é o nosso cliente, o que ele busca e de que forma se relaciona com a nossa marca, fica mais fácil realizar contatos pessoais, direcionar uma conversa de aproximação, e enviar propagandas dirigidas a grupos de pessoas com perfis e expectativas similares. Ou seja, esse petróleo é o combustível da customização do marketing das empresas”, analisa Ana Vecchi, CEO da consultoria que leva seu nome, especializada em inteligência na criação e expansão de negócios.

“Quem tem um bom cadastro de seus clientes tem tudo. Vivemos na era da informação, e esse é um ativo muito valioso e útil. Com esses dados em mãos, podemos fazer campanhas estratégicas para públicos específicos e com grande adesão, em vez de fazer uma comunicação genérica. Com isso, evitamos ‘dar tiro de canhão para matar passarinho’. Isso reduz custos e aumenta a eficiência das nossas ativações”, avalia Renato Flora, sócio-proprietário da Saladenha, rede de franquias de restaurantes de alimentação saudável.

“Graças a esses dados que a gente consegue entender melhor quais ações devem ser tomadas e em qual momento. Também nos ajuda a saber ao certo o que agrada cada um dos nossos clientes, de forma que podemos atendê-lo de maneira mais personalizada e íntima. Com isso, ele tem uma experiência mais agradável e se sente em casa quando está aqui no studio”, opina Shane Young, um dos fundadores da Velocity, rede de academias de bike indoor.

Mas como obter esses dados? Uma ideia simpática para captá-los de forma espontânea é oferecer wi-fi gratuito em sua loja, mas mediante um cadastro. É isso o que faz Julio Bertolucci, diretor de franquias da rede de restaurantes Água Doce Sabores do Brasil.

“As informações são coletadas no ato em que ele voluntariamente se registra. A partir daí, abrimos um canal de comunicação, oferecemos mimos no dia do aniversário, fazemos pesquisas de opinião e enviamos conteúdos direcionados, fidelizando o cliente e fortalecendo seu vínculo com nossa marca”, explica Bertolucci.

Com um ativo tão valioso, é preciso ter cuidado e utilizá-lo de forma segura. “Não disponibilizamos de maneira alguma essas informações para quem quer que seja.  É fundamental agir com ética e respeito na hora de lidar com esses dados, respeitando a privacidade e sem causar nenhum aborrecimento para nossos clientes”, alerta Artur Hipólito, sócio-diretor do Grupo Zaiom, que controla a Home Angels, a Dr. Faz Tudo e a Dr. Jardim.

250
VISUALIZAÇÕES