CEO da General Motors, Mary Barra, aposta na sustentabilidade, na tecnologia e na diversidade em sua gestão de pessoas

Nascida no estado norte-americano do Michigan há 56 anos, Mary Barra é a primeira mulher a dirigir uma montadora nos Estados Unidos e uma das executivas mais poderosas do mundo.

Desde que assumiu a presidência do grupo General Motors, em janeiro de 2014, ela vem fazendo uma revolução na companhia fundada há 110 anos. Seu objetivo é transformar essa indústria tradicional de produção e venda de carros em uma empresa de mobilidade sustentável e com propósitos sociais.

Além de buscar a liderança mundial de carros elétricos e autônomos, Mary luta pela formação e pela representatividade feminina no mercado de trabalho. “Temos programas que encorajam jovens mulheres e meninas a aprender mais sobre ciência, tecnologia, engenharia e matemática. No ensino fundamental, 50% das meninas dizem que querem estudar ciência da computação, mas, no ensino médio, 2% planejam essa carreira. Elas abandonam o sonho de ser cientista ou engenheira. Isso é péssimo para a nossa economia, estamos perdendo talentos”, afirma.

Mary sabe, por experiência própria, como esse incentivo é importante. Quando adolescente ela era uma nerd em matemática, o que a levou a fazer engenharia elétrica. “Mas uma das razões pelas quais me tornei a primeira mulher da família a entrar em uma universidade, a primeira a trabalhar com engenharia na GM e a primeira a tocar uma montadora de automóveis americana é que eu tive família e mentores que acreditaram em mim e me deram uma chance. E eu acredito que toda menina pode ter essa mesma
oportunidade”.

Ela começou no chão de fábrica da sede da GM, em Detroit, aos 18 anos, inspecionando para-choques e capôs. O trabalho ajudou a pagar a graduação pelo General Motors Institute (hoje Kettering University). Depois de um MBA em Stanford e atuações bem-sucedidas em vários setores da empresa – foi chefe de engenharia de produção, de recursos humanos e de desenvolvimento de produtos –, assumiu a presidência do grupo.

Nesses quatro anos sob seu comando, a GM lançou o Maven, programa de compartilhamento de carros; comprou uma startup de veículos autônomos, a Cruise Automation; assumiu a liderança de vendas na China e bateu a montadora Tesla em valor de mercado.

No final de 2017, Mary lançou o programa “Zero, Zero, Zero”, que preconiza zero acidentes, zero emissões e zero congestionamentos. “Estamos no meio de uma revolução. Nossos veículos estão mudando, impulsionados por novas tecnologias e pelas demandas atuais. A GM compromete-se a liderar o caminho para esse futuro”, ela diz, reafirmando sua vontade em melhorar a vida das pessoas.

455
VISUALIZAÇÕES