Lisboa se firma como a nova cidade cosmopolita da Europa

Parte externa do Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia, (MAAT)

O cenário é de reforma, ou melhor, renovação. Ao caminhar pelas ruas da capital portuguesa, para além dos prédios históricos, bondinhos e hordas de turistas, é fácil perceber que algo mais acontece em Lisboa.

Uma movimentação que extrapola a melhora econômica pós-crise (que os economistas locais chamaram de “a pior crise dos últimos 100 anos”) e faz concluir o que muita gente já sabe: Lisboa está se tornando uma das cidades mais interessantes da Europa.

Construções novas e modernas passam a disputar o cenário com edificações seculares que, por sua vez, também estão sendo restauradas. Galpões fabris, antes abandonados, começam a ser ocupados por gente de inovação e arte da famigerada geração millenial.

Nos táxis e Ubers, o clima é de otimismo e entusiasmo com o futuro. Nas lojas, hotéis e restaurantes também. Os portugueses estão empolgados e é fácil entender. Claro que o estopim foi o controle recente da economia e as inúmeras ações afirmativas do governo para levantá-la. Investimentos em educação e apoio para startups de diferentes setores fazem parte da fórmula para tornar a cidade mais atraente para investidores. O resultado acaba sendo uma melhora psicológica da população, que passa a enxergar oportunidades e ter mais esperança no futuro.

Vista aérea do Parque das Nações, onde o Oceanário de Lisboa e o Pavilhão Atlântico se encontram

Engrossando a lista de atrativos ao investimento estrangeiro, enquanto outras capitais cosmopolitas oferecem altíssimo custo de vida e um mercado supercompetitivo, caso de Nova York e Londres, Lisboa se faz na máxima boa e barata, com imóveis acessíveis e serviços que tornam o custo de vida mais em conta.

Não por acaso, não só a cidade como o país todo tornou-se o destino de sonho de brasileiros que buscam qualidade de vida. Hoje há mais de 86 mil brazucas residindo em Portugal, segundo dados do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), órgão responsável pelo controle de imigração português.

De quebra, a capital portuguesa oferece ainda outras benesses irresistíveis para aqueles que o governo local apelidou de “classe criativa global”. Clima ameno ao longo do ano, excelente gastronomia, ruas seguras, efervescente movimentação cultural e uma legislação progressista (legalização do aborto, do casamento homoafetivo e descriminalização das drogas) compõem uma lista poderosa que faz parte do life style dos jovens e sofisticados nômades da contemporaneidade.

Nessa nova cena lisboeta, alguns atores de diferentes setores da economia, arte e cultura têm se destacado na reconstrução da capital capaz de transportar um país antes desacreditado para a vanguarda do mundo contemporâneo.

Mercado de chefs

Impossível falar de gastronomia em Lisboa sem citar o Time Out Market. Localizado no antigo Mercado da Ribeira – entreposto de alimentos que abasteceu a cidade por séculos no bairro de Cais do Sodré –, ele foi revitalizado em 2014 para receber o melhor entre os comes e bebes da cidade.

Time Out Market e seus restaurantes

A curadoria é feita pela equipe de jornalistas da revista Time Out Portugal, que seleciona entre restaurantes (inclusive estrelados), bares, garrafeiras (lojas de vinhos), confeitarias e empórios os melhores para ocuparem o mercado por determinado tempo. Segundo os editores, “se é bom sai na revista, se é ótimo vai para o mercado”. O espaço também oferece uma programação intensa de eventos, shows e aulas de gastronomia, além de conservar alguns vendedores de produtos frescos como flores, hortifrutis, carnes e peixes.

O local vive lotado e é indiscutível o seu impacto positivo na melhora do bairro e seu entorno. Deu tão certo que o modelo originalmente português tem sido replicado pelo grupo editorial Time Out em cidades como Nova York, Miami, Chicago, Boston, Praga e Montreal. timeoutmarket.com

Vanguarda tecnológica

Originalmente realizada em Dublin, Irlanda, desde 2009, a Web Summit, maior conferência anual de tecnologia da Europa, foi transferida pela primeira vez para Lisboa em 2016. Após duas edições na capital portuguesa, os organizadores e o governo português anunciaram uma parceria para manter o evento na cidade por mais dez anos.

Conferência de tecnologia da Web Summit

A iniciativa reforça ainda mais a intenção do governo de Portugal em colocar Lisboa como centro de inovação tecnológica europeu. A conferência, prevista para novembro deste ano, reúne desde empresas da Fortune 500, nomes da indústria de tecnologia global, até pequenas startups focadas em inovação em torno de temas relacionados à tecnologia da internet. O evento acontece no moderníssimo complexo Altice Arena. websummit.com

Bons e sofisticados drinques

Sushi do Seen Lisboa, assinado por Willian Ribeiro

Inspirado no sucesso do Seen São Paulo, restaurante instalado no topo do hotel Tivoli Mofarrej com vista privilegiada da cidade, o recém-inaugurado Seen Lisboa já nasce como hot spot lisboeta. Com o mesmo conceito explosivo da casa paulistana criada pelo chef e restaurateur português Olivier da Costa, especialista em criar ambientes moderninhos e atraentes, esta replica a fórmula que tem provocado filas em São Paulo.

O decor impecável de inspiração art déco traz um bar 360º no centro do salão, onde são preparados coquetéis autorais assinados pelo chef de bar brasileiro Heitor Marin. Da cozinha saem pratos que combinam ingredientes das cozinhas brasileira e portuguesa de forma contemporânea, sob o comando do chef brasileiro William Ribeiro em parceria com Olivier. Há ainda um sushi bar e um bar de ostras com pescados frescos do litoral português. seenlx.com

Galeria a céu aberto

Seguindo o mesmo movimento de revitalização de áreas abandonadas da cidade está o LX Factory, uma espécie de galeria criativa ocupada por profissionais do design, da gastronomia, arte e cultura. Há desde livros e vinhos, a brechós de móveis, peças de décor moderníssimas e objetos de cama, mesa e cozinha sustentáveis. Tudo autoral.

Lx Factory reúne gastronomia e arte

O espaço industrial datado de 1846 antes abrigava a Companhia de Fiação e Tecidos Lisbonense, no tradicional Bairro de Alcântara, mais afastado do burburinho do centro. O Lx Factory é uma ilha criativa que tem sido cenário de diversos eventos nas áreas da moda, arte, arquitetura, música e gastronomia.

Street art

Presença marcante pelas ruas de Lisboa, Vhils é nome forte da arte de rua não só em Portugal como em outras cidades da Europa. Alexandre Farto (nome de batismo do artista plástico) é reputado pelo uso de martelos pneumáticos na técnica particular de escavar retratos em paredes e muros da cidade como forma de intervenção urbana. Com obras na Tailândia, Malásia, Hong Kong, Itália, Estados Unidos, Ucrânia, Macau e Brasil e muitas, claro, em Lisboa, ele tem entre as mais recentes uma homenagem à vereadora e ativista carioca Marielle Franco, assassinada em 2018.

Arte de rua assinada por Vhils

A obra – proposta pela Anistia Internacional e Mônica Benício, companheira de Marielle, como parte do projeto Brave Walls, que homenageia mulheres defensoras dos direitos humanos no mundo – foi esculpida no decadente edifício Panorâmico de Monsanto. Um prédio, da década de 60, que antes de ser abandonado integrava restaurante, café e miradouro com vista privilegiada para Lisboa. Agora tem se renovado e recebe eventos como o Festival de Arte Iminente, que conta com o apoio da Câmara lisboeta e do próprio Vhils. vhils.com/about

Frescor das oliveiras

Nem só urbanidades fazem de Lisboa uma região moderna. A pouco mais de uma hora da capital, é possível visitar um dos maiores e mais modernos olivais de Portugal. Pertencente ao grupo Andorinha, o Lagar do Marmelo chega a produzir 200 mil litros de azeite por dia com frutos extraídos das mais de 15 milhões de oliveiras espalhadas por cerca de 10 mil hectares de terra. A plantação envolve modernos sistemas de irrigação que possibilitam a produtividade ao longo do ano.

O olival Lagar do Marmelo

No lagar, um moderno laboratório faz cuidadosa seleção de frutos, colhidos em diferentes tempos de maturação para sabores variados de azeite, e o máximo de frescor no fabrico. Da colheita à extração o processo não demora mais que seis horas. A visita guiada passa por todas as etapas de produção, do plantio à prensa, e termina numa degustação dos diferentes óleos de oliva. Qualquer pessoa pode participar mediante agendamento pelo site azeiteandorinha.com.br.

Shopping hype

Ao caminhar pelos arredores da praça Príncipe Real é impossível passar incólume pelo palacete neoárabe do século XIX com toques de art nouveau que abriga a Embaixada. O belíssimo espaço já vale a visita, mas há ainda as salas que foram transformadas em lojas de pequenos produtores hypados de moda, arte e designer portugueses. Além de boas compras, também é possível desfrutar de exposições temporárias, do restaurante local e do bar especializado em gins. Com rótulos de todos os cantos do mundo, a carta convida o visitante a montar seu gin & tônica personalizado. www.embaixadalx.pt

Menu disruptivo

Prato do Boi-Cavalo

Chamado de chef disruptivo pela crítica local, Hugo Brito é um dos nomes que quebra com padrões da alta gastronomia moderna portuguesa. No seu restaurante Boi-Cavalo, nas ruelas do bairro da Alfama, fora da rota gastronômica convencional de Lisboa, ele aposta no movimento para apresentar sua comida. Não há menu fixo nem carros chefes e o cardápio muda conforme a oferta dos alimentos. www.boi-cavalo.pt

370
VISUALIZAÇÕES