Não faça do seu carro uma arma

Conhecido por seus altíssimos índices de violência, o Brasil necessita de paz, compreensão e empatia. E não de medo, desalento e insegurança. E o decreto assinado por Bolsonaro, que flexibiliza a posse de armamentos, nos aproxima de todas essas tristes mazelas. Vale lembrar que já temos um campo de guerra armado nas próprias ruas das cidades. O trânsito brasileiro é o quinto mais violento do mundo, segundo dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

De acordo com pesquisa feita pelo Observatório Nacional de Segurança Viária, a cada 12 minutos uma pessoa morre vítima da violência no trânsito no Brasil, ou seja, 5 mortes a cada hora. Já o número de vítimas de armas de fogo e agressões é de 6 por hora. “Como podemos observar, o trânsito produz praticamente a mesma quantidade  de vítimas que a violência física no Brasil”, destaca o diretor-presidente do Observatório, José Aurelio Ramalho.

O uso do celular é a terceira maior causa de acidentes fatais, atrás apenas do excesso de velocidade e do consumo de álcool pelos motoristas.

O chocante é saber que 98% dos acidentes são por falha humana – e não por questões técnicas. Sim, a responsabilidade é toda nossa. E a melhora desse quadro depende da conscientização e da mudança de comportamento de toda a sociedade. “Cada cidadão deve abraçar esta causa e se comprometer em conhecer e respeitar as leis de trânsito pelo bem de todos”, diz Ramalho, lembrando dos sete pecados capitais que podem ser evitados para poupar vidas.

Os 7 pecados capitais:

  • Usar o celular ao volante

Ler uma mensagem de texto com o carro a 60 km/h equivale a percorrer 76 metros às cegas.

  • Dirigir alcoolizado

Em 21% dos acidentes, pelo menos um dos condutores havia bebido.

  • Dirigir colado na traseira do carro à frente

Responde por 12% dos acidentes registrados nas rodovias federais.

  • Dirigir acima da velocidade permitida

12% dos acidentes são resultado dessa infração.

  • Deixar de ligar a seta

Trocar de faixa sem ligar o sinalizador obriga o motorista na pista ao lado a frear bruscamente, às vezes sem tempo para evitar a batida.

  • Não usar o cinto de segurança

Em uma colisão frontal a 60 km/h, um passageiro no banco de trás sem cinto é arremessado com um peso equivalente a 1000 quilos.

  • Não fazer a manutenção do veículo

A falta de cuidados mecânicos causa o dobro dos acidentes provocados por ultrapassagens proibidas.

532
VISUALIZAÇÕES