Ópera Rigoletto estreia em julho no Theatro Municipal de São Paulo

Darío Schmunck, como Duque de Mântua. Foto: Fabiana Stig / Divulgação

A temporada lírica de 2019 do Theatro Municipal de São Paulo traz uma das óperas mais importantes do romantismo italiano: Rigoletto, de Giuseppe Verdi. Com direção cênica de Jorge Takla e musical do maestro Roberto Minczuk, a estreia acontece no dia 20 de julho, às 20h.

A ópera em três atos, com libreto de Francesco Maria Piave, é baseada na peça Le rois’amuse (O Rei se Diverte) de Victor Hugo e faz parte da chamada trilogia popular de Verdi (junto a Il Trovatore La Traviata). Rigoletto é um bufão corcunda da corte, de língua afiada e mordaz que serve ao Duque de Mântua, um libertino incontrolável. Rigoletto mantém escondida em casa sua única filha, que tem permissão de sair somente para ir à missa. E é exatamente na missa, que Gilda, a filha do bufão, conhece o insaciável Duque (que se apresenta para a jovem como um pobre estudante). Os cortesões, num gesto de vingança pelas piadas do bufão, sequestram sua filha, que será depois abusada pelo próprio Duque. O bufão decide se vingar, mas uma maldição ronda sua vida e fará com que toda a tragédia se complete.

O elenco conta com grandes cantores da cena lírica nacional e internacional. No papel de Rigoletto, se revezam os barítonos Fabián Veloz, argentino eleito pela Associação de Críticos Musicais da Argentina como o melhor cantor lírico de 2018, e Rodrigo Esteves, brasileiro radicado na Espanha, com passagem por diversos teatros na Europa. Como Duque de Mântua, o tenor Fernando Portari, que já interpretou o mesmo papel em mais de 50 apresentações e, em 2019, completa 30 anos de carreira. Alterna com ele o tenor argentino Darío Schumunck. Já como Gilda, a jovem soprano russa Olga Pudova e Carla Cottini, soprano brasileira, revezam no papel.

Todas as apresentações contam com a performance da Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, sob a regência do maestro Roberto Minczuk e do Coro Lírico Municipal de São Paulo, preparado pelo maestro Mária Zaccaro.

O cenário está sendo produzido no Brasil pelo premiado coreógrafo Nicolás Boni. O figurino conta com mais de 100 peças produzidas com o requinte que a época pede pelo figurinista Fábio Namatame. Visagismo de Tiça Camargo, desenho de lu de Ney Bonfanti e coreografia de Anselmo Zolla.

Os ingressos para “Rigoletto” variam de R$ 20 a R$ 120 e estão à venda pelo site do Theatro Municipal (www.theatromunicipal.org.br) ou na bilheteria. A ópera é a segunda da Temporada Lírica 2019 após “O Barbeiro de Sevilha”, que estreou em fevereiro.

Theatro Municipal

Praça Ramos de Azevedo, s/n, República, tel. (11) 3053-2100. 

Datas: Sábado, 20, às 20h
Domingo, 21, às 18h
Terça-feira, 23, às 20h
Quarta-feira, 24, às 20h
Sexta-feira, 26, às 20h
Sábado, 27, às 20h
Domingo, 28, às 18h (com audiodescrição)
Terça-feira, 30, às 20h

792
VISUALIZAÇÕES