Conheça atitudes urgentes para adequar o orçamento na pandemia

Segundo pesquisa do DataFolha divulgada no começo do mês de abril, 69% dos brasileiros acreditam que sua renda diminuirá durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Quatro em cada dez entrevistados afirmam que só teriam dinheiro para se sustentar por, no máximo, um mês se perdessem agora os seus rendimentos.

As expectativas econômicas e de recuperação não são das mais otimistas, mas para organizar o orçamento e superar este momento delicado, Carlos Terceiro, CEO e fundador do sistema de gerenciamento financeiro Mobills, explica que é importante aprender sobre finanças e analisar o orçamento pessoal. “Para entender como podemos agir precisamos ter um diagnóstico das nossas finanças. Só assim poderemos colocar em práticas ações para usar o dinheiro de maneira inteligente e com ajustes para sobreviver a crise com os menores prejuízos possíveis”, explica.

Para aqueles que podem, adequar o orçamento em tempos de pandemia é essencial para enfrentar a crise

Para aqueles que podem, adequar o orçamento em tempos de pandemia é essencial para enfrentar a crise

Colocar em prática atitudes simples pode ajudar a controlar as contas e reduzir gastos, e por esse motivo, Carlos listou algumas dicas. Confira:

Comece a controlar todos os seus ganhos e gastos mensais

Nesse momento, cultivar o hábito de controlar o dinheiro e usá-lo de forma inteligente é fundamental. Por isso, anote todos os seus ganhos e gastos, pode ser em um caderno, uma planilha ou em um gerenciador financeiro como o Mobills. O importante é saber exatamente quanto você ganha e quais são os seus gastos.

Evite gastar mais do que ganha

Se você não perdeu sua principal fonte de renda, o ideal é que tenha disciplina para não fazer gastos desnecessários e manter seu balanço financeiro positivo. Aproveite o momento de isolamento para evitar compras que podem ser adiadas e foque no que é realmente necessário.

Crie o hábito de poupar

Mesmo que você esteja passando por uma crise financeira, é importante que entenda a importância de poupar pensando no bem-estar presente e futuro. Comece com pouco, se puder. Pode ser 1% da sua renda ou mesmo R$ 1,00 por semana.

Faça lista de compras

Os supermercados continuam funcionando em meio a crise e muitos disponibilizam bons serviços de entrega. Faça listas de compras bem pensadas nas suas necessidades e não compre o que não precisa ou que não vai conseguir consumir. Nesse ponto, também é importante ter consciência para não fazer estoques de produtos, pois isso pode afetar negativamente outras famílias.

Cuidado com as compras online

Comprar online agora é mais do que cômodo, virou questão de necessidade. Mas, cuidado para não acabar comprando o que não precisa e extrapolando no uso do cartão de crédito.

Caso seja necessário, pesquise pelas formas de empréstimo mais baratas

Se você teve sua renda afetada por meio da crise, não possui reserva de emergência, nem outro tipo de segurança financeira, talvez enxergue solução nas opções de empréstimo existentes. Nesse caso, lembre-se de pesquisar bem e buscar formas de empréstimo mais baratas e que não comprometam muito o seu bem-estar futuro.

Economize o máximo possível e negocie pagamentos

Nesse período de quarentena, certamente você verá que contas como a de energia ficarão mais caras. Busque economizar como puder, como apagando as luzes dos cômodos da casa quando não estiver utilizando e não deixe aparelhos em stand-by. Também é um período importante para negociar certos pagamentos. O importante é conversar para chegar em acordo que sejam positivos para ambos os lados, como no caso de diminuir o valor do aluguel ou reduzir a mensalidade da academia.

Faça um planejamento financeiro e pense no longo prazo

Aproveite seu tempo livre para organizar suas finanças, determinar seus objetivos e fazer um bom planejamento financeiro. A crise vai passar e é importante que tenha seus planos bem direcionados para conquistar seus objetivos. Isso vale para o curto e longo prazo, para a forma como vai lidar com as suas finanças no dia a dia, durante e após a crise.
405
VISUALIZAÇÕES