Projeto social Vale do Dendê acelera negócios em Salvador

A partir da esquerda: Rosenildo Ferreira, Ítala Herta, Paulo Rogério Nunes e Hélio Santos, os fundadores da Vale do Dendê

Há onze anos, Nizete dos Santos teve a ideia de apresentar aos turistas brasileiros e estrangeiros uma Salvador diferente, que vai além das atrações clássicas. Surgiu então a Afrotours, agência de turismo que desvenda as ladeiras e as vielas do Pelourinho e mostra a influência africana na transformação da cidade. A empreendedora também buscou, desde o início, uma conexão com destinos da África como Nigéria e África do Sul. “Eu sempre quis vender roteiros no continente africano para mostrar a forte ligação dessas culturas com a história da Bahia”.

Mas sua agência só começou a comercializar esses roteiros há um ano, quando entrou em cena a consultoria da holding social Vale do Dendê, uma aceleradora de empreendimentos na Bahia aberta em 2016. Hoje, além de Nizete dos Santos, trinta novos empreendedores têm aulas, veem palestras e workshops sobre questões jurídicas e financeiras e têm acesso a uma consultoria específica sobre o ramo de negócio escolhido.

Especialista em Design Estratégico, Geórgia Nunes decidiu se tornar empreendedora de impacto social com a sua marca Amora Brinquedos Afirmativos, cuja missão é levar representatividade para crianças negras com a venda de bonecas. “Com a Vale do Dendê, consegui utilizar a loja pop-up no Shopping da Bahia para eventos”, ela conta.

O nome da holding foi inspirado no Vale do Silício, na Califórnia, onde nasceram algumas das maiores empresas de tecnologia e inovação do mundo. O Vale do Dendê abre anualmente um edital para que os melhores projetos sejam selecionados e então acelerados. A prioridade é a população negra de Salvador, especialmente mulheres e jovens. Importante ressaltar que a Bahia, o estado com mais negros do país (cerca de 86,6% em Salvador) é, paradoxalmente, o lugar onde eles são mais discriminados: de acordo com o IBGE, nesse estado os negros ganham 36,3% menos do que os brancos.

O Vale do Dendê busca, assim, suprir essa imensa lacuna fazendo pontes entre os novos empreendedores e investidores. “Estamos provando para o mercado que a diversidade é um ótimo negócio, além de tendência global”, afirma Rosenildo Ferreira, diretor de inovação e marketing da empresa. O Vale pretende aproveitar as oportunidades de Salvador: “Incentivar o empreendedorismo social e local é parte de uma ideia sustentável de negócios”.

127
VISUALIZAÇÕES